Resenha: Kurt Seyit ve Şura – Série Turca na Netflix

18:58 Fernanda Bizerra 8 Comments



Depois de infinitos dias assistindo o relato, de Kurt Seyit e Şura que, além de enfrentar grandes fantasmas que a vida lhes apresentou, também enfrentaram uma guerra. Não apenas aquela com bombas e soldados armados por todos os lados, mas também a mais perigosa de todas, a que envolve sentimento e não importa se foi amor, ódio, traição e inveja.

Kurt Seyit e Şura Verjenskaya enfrentaram o mundo para viverem o amor intenso que surgiu em seus corações desde o primeiro olhar. Um sentimento que podia ser sentido de longe por todos. No entanto, onde existe um grande amor, a inveja sempre estará lá com os olhos do tamanho do mundo em cima. O casal  não encarou apenas um invejoso, mas metade do universo. Claro que estou exagerando um pouco, mas foi assim que vi a vida de ambos.

SINOPSE: Kurt Seyit ve Şura é sobre as aventuras de duas pessoas apaixonadas que, durante a Primeira Guerra Mundial, a Rússia é forçada a abandonar suas vidas e familiares durante a revolução russa e a fugir para Istambul. A jornada de Kurt Seyit Eminof ( Kıvanç Tatlıtuğ ), um tenente da Criméia e Şura ( Farah Zeynep Abdullah ), a bela filha de uma nobre família russa, conta sua história dos dias de magnificência em Petrogrado, na linha de frente dos Cárpatos, Dos tumultos, à revolução, de Alushta à Istambul ocupada, a Pera na década de 1920. É a jornada de seu amor.

Kurt Seyit, um bonito jovem turco da costa sul da Criméia e o primeiro tenente da Guarda Imperial de elite viu a morte de perto por muitas vezes, mas por Deus ele sempre saiu ileso, afinal tinha muitas vidas para salvar. Um homem intenso que colecionou muitas mulheres ao longo da vida e uma delas foi a Baronesa Lola. Uma mulher apaixonada que fez muito para colocar um fim no amor que via nos olhos de Seyit. Infernizou Sura o quanto pode, com ajuda de Petro, aquele que se diz amigo de todos, mostrando-se um traidor. Lola foi a responsável por revelar a todos a verdadeira face de Petro Borinsky.

Sura, ah! minha querida Sura! Primeiro uma menina, que se entregou ao amor com um único olhar. Algo tão belo quanto o céu, o que ela não sabia foi que, no momento em que se apaixonou por Seyit, a inveja se levantou do túmulo e ficou ao seu lado com sua sombra. Ao longo dos dias, aquela menina virou uma
mulher que foi obrigada a crescer, pois o mundo não era um conto de fadas e que amor não trazia apenas felicidade.

Todo ser apaixonado faz algumas criancices e com ela não foi diferente, no entanto, manteve-se sempre honrada, lutou bravamente por seu amor, mas como batalhar contra o mundo?! Muitos podem entender como fracasso ou desistência, porém Şura e Seyit viram que apenas AMOR não alimenta uma relação. Mesmo tão intenso quanto o deles, não foi suficiente e assim cada um seguiu seu próprio caminho. Novos passos, novas pessoas. Ele traiu Sura?? Sim. Com quem? Apenas uma desconhecida.

Já Petro foi um homem sujo, traiçoeiro que esfarrapou não apenas sua honra, mas a de seus pais e lutou como o diabo para colocar fim a vida de Seyit. Seyit considerava-o como amigo pelos longos anos de amizade que mantinham e ainda o protegeu em certos momentos. No entanto, Petro foi um daqueles lixos invejosos que até mesmo sua sombra fazia murchar a vida por onde quer que fosse.

Em algumas ocasiões, ele salvou Seyit, mas sempre com a intenção de parecer um herói aos olhos de Sura. Foi responsável pelo fim da família de Seyit. Pessoas inocentes se foram e serviram como ponte para o sucesso de Petro. No último capítulo, confesso que fiquei extremamente nervosa e ansiosa, o fim desse lixo foi plantado com suas próprias mãos. Petro literalmente cavou sua própria cova, onde Seyit teve apenas o trabalho de jogar terra em cima. Devo dizer que ele ainda não estava morto quando foi enterrado. Triste, eu sei! Um crime? Sim.


Quanto à Tina, a irmã de Sura, ainda estou na dúvida entre amor, ódio, raiva ou repulsa mesmo. Às vezes, não sabia se ela apenas protegia a irmã ou se corroía de inveja. Foi uma das responsáveis por colocar um oceano entre o amor da irmã e Seyit, ela nunca o aceitou como merecia. Assim como o pai de Seyit que nunca aceitou Şura e morreu sem dar a benção ao filho. Por tradição da família de Kurt Seyit ele deveria se casar com uma turca e não com uma russa.



Ahmet Yahya foi um ser admirável e marido de Güzide, uma menina que viu a possibilidade de seu amor ir para o ralo. Tatya era namorada de Celil Kamilof, o primeiro e único amor de Güzide, uma garota cheia de amor que aceitou um casamento arranjado com Ahmet Yahya em um momento de desespero quando o amor doeu tanto que ela não suportou e fugiu.

Não sei descrever o amor que senti por esses dois, Celil e Güzide que mesmo morrendo de amores um pelo outro não se sujaram com a traição. E saber que o amor deles teve frutos e que foram felizes me deu certa paz (rs). Claro que fiquei triste pelo fim trágico de Ahmet Yahya, mas ele escolheu traçar tal destino.

Que mulher foi Alya Sokolova? Admirável apenas! Teve seu momento de tolice, mas quem nunca? Porém, isso jamais tirou minha admiração por ela e confesso que fiquei imensamente feliz em saber que sobreviveu há tantas controvérsias. Te amei Alya Sokolova.

Ayşe. A porca invejosa e demoníaca Ayşe. Aquele ser que apenas ao olhar sabemos que vai fazer coisas ruins. Aquela coisa de aura preta 😠😠 que mulher suja cara.  A raiva sem medida que tive dessa mulherzinha de quinta categoria, venenosa e odiosa.

Mürvet ou Murka, como queira. Uma linda mulher, uma menina admirável.  Este serumaninho lindo casou-se com Seyit, pois é o mundo dá suas voltas e ele acabou fazendo a vontade do pai. Nada na vida desse homem foi fácil, todas suas relações amorosas começaram de forma conturbada e com Mürvet não foi diferente, mas não foi nada que colocasse um oceano entre eles, apenas a sebosa Ayşe que ficou lá infernizando, ô mulherzinha sem limite.  O diabo passa do limite 😠😠

Fiquei triste por não ter dado certo com Şura? Fiquei, mas estive feliz e entristecida pela relação dele com Mürvet. Após a partida de Şura para Paris, ela se casou com Serge o que me causou felicidade em saber lendo em relatos na internet, pois a participação dela acaba com sua partida no navio, mas há quem diz que ela e Seyit trocaram cartas por toda a vida. Depois ela foi para os Estados Unidos e casou novamente e teve uma filha. Dizem também que a filha dela e Serge faleceu ainda pequena.

O final de Seyit é realmente triste, pois foi um homem forte durante toda a vida, mas a partida de seu verdadeiro amor e o mundo entre eles causou feridas incuráveis o que trouxe depressão, sombras e fantasmas que ele nunca conseguiu lidar. Ele não teve coragem de ir atrás de Şura por amor às filhas, afinal de contas, nunca chegou a amar Mürvet o que creio que causou muita dor a ela. No entanto, ela se casou sabendo que teria a possibilidade de nunca ser amada. Tola? Sim, mas foi o que escolheu para si. Foram felizes no início, mas com o passar dos anos ele se tornou um alcoólatra e um suicida chamando por Şura.

Não achei último capitulo horrível como muitos disseram, claro que ficaram coisas sem explicação, mas a última cena é feliz. O que muitos reclamam é porque não falaram da vida inteira até o final, mas a vida seguiu seu curso mesmo assim. Passaram dias e anos de sorrisos e choros. O final me satisfez!

Kurt Seyit e Şura Verjenskaya aprenderam e nos ensinaram o que sempre digo: amor não é suficiente, é preciso alguns pilares que o sustente como conversa e confiança.Mentiras e ocultações não devem fazer parte de um relacionamento.


A trama é baseada nos livros da autora Nermin Bezmen que serão publicados no Brasil pela Pedra Azul Editora. A previsão de lançamento é Setembro de 2017. Enquanto isso, assistam a série com 46 episódios na Netflix 😊😊

Siga o blog nas redes sociais:

Beijos Fê :*

8 comentários:

  1. Nossa!!! Que diferença do Seyit da vida real em comparação com o ator que interpreta ele.

    ResponderExcluir
  2. Nunca se da valor aos costumes na juventude! Mas, os costumes familiares se impõem na vida das pessoas. Isso é universal, ou seja, para todas as culturas. Quanto ao amor deles: devido à intensidade inicial, sempre cobrou muito ao longo do relacionamento. Nunca conseguiriam ter uma família equilibrada devido a "loucura" provocada pela intensa paixão. Isso realmente foi vida real!

    ResponderExcluir
  3. Eu comecei a ver essa série ontem, vi 3 episódios e já gostei!! Irei ver os outros. Eu não gostei da irmã da Sura. E q diferença entre Kurt da vida real e o da série, não. E a Sura da vida real era bonita.
    bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei que ela só queria ajudar, mas sei lá hahahaha
      Pois não é, o da serie é mega lindo rsrs

      Excluir