Resenha: Depois daquela Montanha por Charles Martin

11:05 Fernanda Bizerra 1 Comments


Olá amados leitores, como vão? Espero que a semana de vocês tenham iniciado da melhor maneira possível, ou seja, com uma bela lista de leitura. Caso algum de vocês não tenham tido tempo de fazer essa lista ou estão à procura de um bom livro para ler no momento, não se preocupem, pois, hoje estou trazendo a vocês caríssimos a resenha do livro Depois daquela Montanha, a qual a história é nada mais do que fascinante. 

Eu digo inclusive que é uma verdadeira lição de amor e superação nos momentos mais difíceis.

Ben é um médico renomado que está voltando para casa de um congresso e no aeroporto de Salt Lake City (EUA), ele conhece a jornalista Ashley, a qual está para se casar dentro de 48 horas. Após embarcarem, as más notícias começam a surgir, ou seja, o piloto do avião pede desculpas a todos os passageiros, mas devido ao mau tempo em decorrência de uma nevasca, não será possível realizar a decolagem. É nesse momento que a vida de Ben e Ashley sofrem uma mudança dramática em suas vidas. Vocês podem estar se perguntando o que o cancelamento de um vôo pode interferir tanto na vida pessoal de ambos os personagens? Eu não sei se devo dizer muitas coisas com relação a isso, certamente não devo, pois se eu falar vocês não vão querer ler o livro, então só posso dizer que, após ambos retornarem para o aeroporto e tentarem reservar um hotel para passar a noite, uma decisão um tanto que “ousada” de Ben, faz com que Ashley aceite a oferta sem pensar muito, pois como eu disse acima, ela vai se casar dentro de dois dias.

O que eu vou dizer em seguida me fez refletir em certas coisas de nossas vidas, pois após tomar essa decisão, Ben acorda com muita dor nas costelas e ao olhar para seu lado vê Ashley desmaiada com um dos ombros deslocados e uma perna fraturada e, para ajudar eles estão sozinhos e isolados em alguma montanha a mais de 3.500 metros de altitude e para qualquer lugar que Ben olha só vê neve e penhascos. O frio é de gelar a alma. Diante disso meus amados leitores, se coloquem no lugar de ambos os personagens e façam um exercício mental pensando juntamente comigo nas seguintes situações:

1)      Como encontrar um meio de salvar não só a sua vida como também da outra pessoa que está ao seu lado com um ombro deslocado, uma perna fraturada, porém ainda viva? Vocês a deixariam morrer ali ou a ajudariam?

2)      Como encontrar um meio de sobreviver a mais de 3.500 metros de altitude sem água e qualquer tipo de alimento?

3)      Mesmo se vocês encontrassem um meio de salvar não só a sua própria vida, como também da outra pessoa, como achar um abrigo e o mais importante, como se locomover estando acompanhando de uma pessoa com uma perna fraturada? Não se esqueçam que Ben está com três costelas quebradas e Ashley com um ombro deslocado e uma perna fraturada.


4)      Quanto tempo vocês conseguiriam sobreviver sem água, comida e uma boa noite de sono?

São essas quatro questões citadas acima que o autor nos faz refletir e pensar durante essa leitura fascinante que como eu disse anteriormente é uma lição de vida. Vocês podem estar se perguntando: Mas onde entra o “amor” em toda essa história que tem mais momentos de sofrimento? Só posso dizer que durante a leitura vocês vão se surpreender quando chegar esse momento e entender como tudo se encaixa e faz sentido na narrativa do autor.

Vocês vão notar também que durante toda a história, Ben faz questão de registrar tudo o que acontece com ele e com Ashley em um gravador portátil para que sua esposa Rachel possa ouvir no caso de sua sobrevivência. O fato é que a vida pessoal de Ben é um mistério durante toda a trama, mesmo ele deixando claro que é casado, algumas coisas começam a não fazer muito sentido durante o decorrer da leitura e o autor deixa para revelar tudo no final, o qual é surpreendente em diversos sentidos, tanto na vida pessoal de Ben quanto na vida pessoal de Ashley.

Finalizo essa resenha dizendo que certas leituras mudam a nossa forma de ver o mundo em que vivemos. Algumas vezes estamos acostumados a reclamar disso e daquilo, que uma comida não é boa, que eu não gosto de tal alimento, que eu gostaria de ter isso e aquilo. Nesse caso é bom nos depararmos com uma leitura dessas, pois ela nos ensina e nos mostra o quanto todos nós somos fortes, o quanto todos nós podemos fazer o que quisermos se tivermos um por cento de chance e de oportunidade e que mesmo nos momentos mais difíceis e sombrios, jamais podemos perder a esperança de que tudo depende única e exclusivamente de nós para sobrevivermos por pior que seja a situação.

Todas as vezes que sentirem vontade de reclamar de alguma coisa (seja de qualquer gênero), lembrem-se do que os dois personagens viveram durante a maior parte desse livro e reflitam se vocês seriam capazes de enfrentar tudo o que eles enfrentaram por uma causa maior do que todas, ou seja, a pura e simples vontade de sobreviver!!!!

A história parece ser baseada em fatos reais e verídica, porém não é mas chega muito perto disso.

Grande abraço pessoal e até a próxima!!!
Alexandre Costa 


Até a próxima.

Siga o blog nas redes sociais:




Um comentário:

  1. Oi Alexandre, já vi outras resenhas positivas sobre esse livro e gostei da forma como vc descreveu as situações e a reflexões que vc teve. Espero ler em breve.
    Bjs
    Fadas Literárias

    ResponderExcluir